PATRÍCIA é jornalista e assina POETA. Eu sou ANGELA, Pedagoga e assino RAMALHO (o que não deixa de ter também a sua poesia). Fico pensando como seria divino assinar "Poeta" depois do nome. Até fiz uma poesia sobre isso! Esse blog é um espaço onde brinco com as palavras, fazendo aquilo que gosto. E o que eu gosto mesmo é de fazer poesias! Portanto, embora não seja PATRÍCIA, eu sou POETA!

terça-feira, 11 de março de 2014

CASA DAS ROSAS

Projetada por Francisco de Paula Ramos de Azevedo em 1930, a Mansão das Rosas, que hoje leva o nome de Casa das Rosas, cuja construção foi concluída em 1935, é ponto de referência cultural na vida do paulistano.

Foi uma das últimas construções realizadas na avenida Paulista na época dos Barões do Café. A casa abrigaria a residência de uma de suas filhas, Lúcia Azevedo Dias de Castro, casada com Ernesto Dias de Castro. O imóvel foi habitado até 1986, quando sofreu desapropriação pelo governo do estado de São Paulo. 

Tombada em 22 de outubro de 1985, foi reaberta no dia 19 de setembro de 1995, com a proposta de ser um espaço cultural diferenciado, informatizado e dedicado a exposições. 

Inaugurada como Casa das Rosas em 1991, por possuir um dos maiores e mais belos jardins de rosas da cidade, a casa foi destinada para funcionar como centro cultural. Pelo fato de ter em seu acervo a obra e alguns objetos pessoais de Haroldo de Campos – e para homenagear o poeta, morto em 2003 –, o centro cultural foi rebatizado em 2004 como Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. O novo nome reafirma o objetivo de torná-la um refúgio onde toda a expressão poética encontre seu espaço. 

A Casa abriga ainda a primeira biblioteca do país especializada em poesia e também uma livraria da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, que comercializa apenas livros de editoras universitárias.

Estive lá no final de semana para o evento da REBRA e pude conferir o que é a Casa das Rosas, um espaço dedicado as mais diversas manifestações culturais, com enfoque em poesia e literatura. No local, a liberdade artística se materializa em saraus, recitais, lançamentos de livros, peças de teatro, exposições e outros formatos que privilegiam a difusão da poesia e da arte em geral. As fotos falam por si e reafirmam a beleza daquele espaço. A REBRA não poderia ter escolhido melhor lugar para comemorar os seus 15 anos! 

Maravilhoso vitral localizado no pavimento superior

Banheiro em desuso transformado em espaço de leitura

Mais um registro do banheiro rosa: Lindo!!! 

Nas paredes, fotos e explicações de como era
o ambiente e sua utilização hoje

Espaço da palavra

Vitral e escadaria

Aqui exibição de videos e entrevistas de cunho cultural

Sala central que dá acessoa área externa

Visão da área externa

Foto tirada da porta de saída para a área externa

Escadaria que dá acesso ao pavimento superior

Vista da entrada principal

A entrada principal e parte dos jardins

Jardins 1

Jardins 2

Jardins 3

Jardins 4

Jardins 5

A Casa e suas rosas. Linda!!!

Área lateral que dá acesso ao restaurante
e aos demais espaços


Jardins 6

Jardins 7


Jardins 8

Jardins e fonte 1

Jardins e fonte 2 

Vista do pavimento superior

A mansão e seus traços de antiguidade,
vista do pavimento superior

Floreira abaixo do vitral,cheia de
 calanchoes coloridos: Amo!!! 

Escadaria 1 

Escadaria 2 
Entrada principal - pavimento térreo


Revistas e livros à disposição, colocados no banheiro rosa

Orquidário 1 

Orquidário 2
Orquidário 3
Orquidário 4 
Orquidário 5 
Orquidário 6 
Jardins e fonte
Vista da casa pela  Av. Paulista
Entrada de acesso ao Parque Cultural
Placa indicativa na Av. Paulista

Orquidário 7










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...