PATRÍCIA é jornalista e assina POETA. Eu sou ANGELA, Pedagoga e assino RAMALHO (o que não deixa de ter também a sua poesia). Fico pensando como seria divino assinar "Poeta" depois do nome. Até fiz uma poesia sobre isso! Esse blog é um espaço onde brinco com as palavras, fazendo aquilo que gosto. E o que eu gosto mesmo é de fazer poesias! Portanto, embora não seja PATRÍCIA, eu sou POETA!

domingo, 26 de julho de 2015

PROJETO TORÓ LITERÁRIO: 07/04/2015 a 17/07/2015

Foram dois meses e meio de trabalho, em que eu e a escritora Vera Margutti nos responsabilizamos pela execução de 35 Oficinas Literárias na cidade de Maringá (PR), sendo 30 nas Bibliotecas Públicas Municipais (com duração de 2h cada) e 05 na Praça da Catedral (com duração de 4h cada), totalizando 80 horas.

Desenvolvemos em cada oficina 02 a 03 atividades, fora o manuseio e leitura de livros de literatura infantil e infantojuvenil. Cada biblioteca recebeu (dentro da programação do projeto) uma Oficina de Ilustração e para ministrá-la convidamos a escritora e ilustradora Maria Cristina Vieira. Eu e a escritora Vera Margutti assumimos a execução das demais oficinas.

Os interessados agendaram participação através de contato prévio com as bibliotecas. As escolas também puderam agendar a participação de turmas inteiras nas oficinas, igualmente com agendamento prévio. Todas as atividades desenvolvidas objetivaram o desenvolvimento da leitura, oralidade e escrita, três eixos fundamentais da disciplina de Língua Portuguesa.

A leitura bem como o manuseio de livros aconteceu em todas as oficinas. Além dos livros, os participantes manusearam e leram folhetos de cordel. Ainda como exercício de leitura, os participantes leram textos em prosa e leram os textos de apoio que foram distribuídos em algumas oficinas.

A poesia foi trabalhada em varais, na análise das letras de música (para verificar se eram ou não poesia), na interpretação de poemas, na leitura e pintura das poesias ilustradas e através de um jogo divertido de rimas. Os participantes desenvolveram a escrita criando e escrevendo histórias, produzindo textos e completando histórias previamente iniciadas.

A oralidade foi desenvolvida na dramatização de histórias utilizando fantoches, na repetição de trava-línguas e parlendas, ao cantar cantigas de roda e acalantos, ao declamar quadrinhas, ao responder às adivinhas, completar provérbios e frases da sabedoria popular.

Além disso, os participantes exercitaram a capacidade de argumentar, convencendo outras crianças e adolescentes a lerem o mesmo livro. A capacidade de decidir entre um livro e outro foi exercida nas ocasiões em que se dava a escolha do “Livro do Dia”. Em cada oficina escolhia-se por votação os três melhores livros lidos. Algumas votações foram bastante acirradas, obrigando alguns participantes a se posicionarem na frente do grupo desenvolvendo oralmente a defesa de suas indicações.

A revelação de "talentos ocultos" surpreendeu. Muitos revelaram-se excelentes desenhistas. Uma adolescente que participou da Oficina na Biblioteca Central desenhou com traços perfeitos a obra Abaporu, de Tarsila do Amaral. Também na Biblioteca Central encontramos crianças que revelaram-se bons atores e atrizes, caprichando na dramatização, montando personagens e escolhendo o figurino. Na Biblioteca do Jardim Alvorada houve revelação de talentos na música.

As cinco oficinas em espaço aberto foram realizadas aos domingos na Praça da Catedral e exigiram atividades mais lúdicas. Convidamos Érica Serra para a contação de histórias, pela sua experiência com os pequenos. E mais uma vez acertamos. Para a praça levamos os fantoches, os tapetes coloridos, mesinhas e cadeirinhas e o baú de livros.

As atividades desenvolvidas em papel nas oficinas realizadas em cada biblioteca foram expostas na Praça da Catedral. Para isso fizemos painéis em TNT (Tecido Não tecido), forrado com plástico transparente. Foram realizadas cinco Mostras Pedagógicas e como tínhamos atividades de seis bibliotecas, numa das Mostras expusemos atividades de duas bibliotecas. 

Missão cumprida, é hora de agradecer! 

Primeiramente a Deus pela saúde, disposição e por contar com amigas talentosas e bem dispostas!

Em segundo lugar à minha família, que proporcionou condições para que eu me dedicasse integralmente a esse trabalho.

Meus agradecimentos especiais vão para aquelas que estiveram comigo na linha de frente desse projeto: Vera Margutti, Maria Cristina Vieira e Érica Serra. 

Por fim, meus agradecimentos à Prefeitura do Município de Maringá, através da Secretaria de Cultura, por proporcionar condições financeiras para a realização desse trabalho.

As fotos abaixo (02 por oficina) dão ideia do que foi o Projeto Toró Literário. Optei pela montagem (3 X 1) para mostrar mais em menos espaço. 









































































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...