PATRÍCIA é jornalista e assina POETA. Eu sou ANGELA, Pedagoga e assino RAMALHO (o que não deixa de ter também a sua poesia). Fico pensando como seria divino assinar "Poeta" depois do nome. Até fiz uma poesia sobre isso! Esse blog é um espaço onde brinco com as palavras, fazendo aquilo que gosto. E o que eu gosto mesmo é de fazer poesias! Portanto, embora não seja PATRÍCIA, eu sou POETA!

quinta-feira, 12 de junho de 2014

FUTEBOL É O ÓPIO DO POVO!



"A vida é o filme que você vê através dos seus próprios olhos. 
                                                        Faz pouca diferença o que está acontecendo. 
     É como você percebe que conta" 
(Denis Waltley). 

Futebol é o ópio do povo. Alguém já disse isso e o que estou repetindo no título deste artigo não é nenhuma novidade. Mas vou tentar ser o mais didática possível, iniciando pelo sentido da palavra ópio. De forma figurada, ou seja, simbolicamente, a palavra ópio significa narcótico, que nada mais é do que uma substância que causa sono, que faz adormecer. Indo mais fundo nessa definição, eu diria que o ópio hipnotiza, tira a pessoa da razão, fazendo-a refém de uma situação e o que é mais grave, causando uma cegueira tal que a impede de raciocinar. A situação torna-se pior, quando a cegueira é coletiva, envolvendo grande parte da população.
Deus nos deu o livre-arbítrio, que nada mais é do que o poder de escolhermos nossas ações e os caminhos que devemos seguir. Isso, ao mesmo tempo em que representa uma dádiva, dependendo da pessoa (ou das pessoas), torna-se um grande perigo. Digo isso porque muitas pessoas não costumam refletir sobre seus atos, vivendo hipnotizadas por ópios de todas as espécies, não apenas futebolisticamente falando. O ópio é uma erva daninha que age em todos os segmentos e atinge indistintamente todos os níveis de pessoas, basta que estejam disponíveis, ou seja, adormecidas e hipnotizadas por alguma espécie de “encanto”. O futebol no Brasil é paixão nacional, o que equivale dizer que somos “encantados” por ele. Esse “encanto” sim é o grande perigo! Por ele, deixamos de raciocinar e nos tornamos vulneráveis a todo tipo de “manobras”.  
Eu torceria pela Seleção Brasileira, como sempre torci desde que me entendo por gente. E olhe que já vi acontecer muitas Copas do Mundo nesses meus quase sessenta anos de vida! De 1930 a 1958 não posso dizer nada, pois ainda não havia nascido ou era muito pequena. Começo minha contagem desde a Copa de 62 até a atual. Seriam 14 Copas contando com essa que veremos acontecer a partir de hoje. Veremos coisa nenhuma! Quem quiser ver que veja, mas eu não verei!
A Copa do Mundo é um evento futebolístico? Eu diria que sim, mas classifico-a igualmente como um evento político. Noto nas redes sociais uma visão equivocada sobre isso, tentando dissociar o evento até das roubalheiras exorbitantes havidas (e amplamente divulgadas) em relação ao superfaturamento das obras dos estádios.
Ora, se a Copa do Mundo não fosse um evento político, o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva não teria feito tanto empenho em marcá-la aqui no Brasil, justamente num ano eleitoral. Pensou o Sr. Lula no seguinte: 1. É ano de eleição; 2. Brasileiro ama futebol; 3. A imagem de Dilma estará desgastada, provavelmente em queda nas pesquisas; 4. Boa parte da população ficará revoltada, devido aos gastos com a Copa.
Porém, se o Brasil ganhar, o povo irá para as ruas, haverá carnaval e a onda verde e amarela se espalhará  país afora! A alienação vai ser tanta, que não serão capazes nem de perceber o quanto foram manipulados! Resultado: Elegerão Dilma novamente e de quebra, serão mais quatro anos garantidos para a petralhada! Esquecerão os superfaturamentos e vou mais longe: serão capazes de agradecer e justificar os “investimentos” realizados nos estádios!!!
Sou brasileira, mas não compactuo com isso! E digo mais: o país não suportará mais quatro anos da era petista! Nem vou falar em sucateamento da máquina pública, pois a palavra sucateamento não dá sequer a ideia do caos em que nos encontramos.
E não falo aqui somente dos desvios financeiros. Estes foram evidentes, sem contar os que ainda descobriremos. O legado que essa Copa deixará ainda é uma incógnita, mas antevejo o desastre, seguido da desculpa de sempre: ninguém sabia de nada!
Para mim, é impossível torcer pela Seleção sem que isso signifique apoio ao governo que aí está. Minha posição é clara: não torço pelo time que representará o Brasil, não sou a favor do governo e não digo amém à FIFA.
Tenho consciência do quanto custou para o país cada centavo gasto nos estádios. Quantas mortes ocorreram nos hospitais por falta de atendimento? Quantas mais por falta de segurança? Quantas pessoas sem moradia, sem acesso a educação, a um emprego digno? Quantas ansiando por melhorias no transporte público? Quantas sem alimentação, sem saúde, sem perspectivas de vida? E eu vou me alegrar por quê? Porque o Brasil vai ganhar??? Ora! E ganharia, de qualquer forma, pois “nos bastidores” a negociação já está traçada!
A frase que escolhi para ilustrar esse texto, nos leva a refletir que a vida é o que vemos, é o que acontece diante de nossos olhos. Não importa que a Copa esteja acontecendo em nosso país. Isso é fato! O que realmente importa é a percepção que tenhamos dela, como a visualizamos, como a analisamos no contexto geral (econômico,político e até futebolisticamente falando). Mas se o povo quer festa, que venha a festa! Percepção, infelizmente é produto raro e não se encontra à venda em supermercados.
Resta-me lamentar pelo que há de vir! Protestarei em silêncio. Meu desabafo é este que assino e que historicamente ficará arquivado neste blog, como prova de que não me omiti e principalmente, não me deixei (e não me deixarei!) manipular!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...